Sunday, May 11, 2008

Eu, mãe

Minha amiga Nayla, comentando um post aqui no blog, disse que o Max é muito sortudo por ter a mim como mãe. Tenho certeza que ela acredita nisso. Quem conhece a Nayla sabe que hipocrisia não faz parte dos "talentos" dela. Mas minha querida amiga permita-me discordar. Acho que o Max perdeu comigo o melhor dos dois mundos. Primeiro, perdeu a energia de uma mãe jovem, com disposição pra correr, brincar. Que não tenha dor nas costas e uma chata e insistente indisposição. Depois perdeu a segurança da mãe dos 40, aquela tão falada estabilidade que muitas mulheres esperam (e grande parte conquista) pra iniciar na maternidade. Hoje aos 38 anos não tenho minha carreira, substituída (sem juízo de valor aqui, por favor) pelo 'sonho' do negócio próprio. Temo muito pelo exemplo que vou dar pro meu filho. Não pelo dinheiro que não faço, mas pela carreira não constituída, por não ter alcançado uma "realização profissional", por não ter um trabalho que me dê alegria, muito, mas muito mais importante que um trabalho que me dê recursos financeiros.
Em minha defesa tem meu marido que eu tão inocentemente achei que fosse ser um ótimo pai. E será, e é! Só que pelos motivos contrários àqueles que eu pensei quando fiquei grávida. Por exemplo: o pai rígido que eu pensei que ele fosse se transforma dia a dia num pai rígido-carinhoso, rígido-babão, rígido-bem humorado e que eu simplesmente adoro.
O falecido Mario Henrique Simonsen costumava dizer que o mais importante numa sociedade é você escolher o sócio, não importa o negócio que se tenha, fundamental é uma boa parceria. Acho que escolhi o pai certo pro Max, não teria feito melhor aos 20.
Quanto a mim, minha definição como mãe cabe ao outro (ao Mauro, aos meus próximos), mas principalmente cabe ao próprio Max que fará isso de formas diferentes durante a vida - inocentemente quando criança, com bastante injustiça na adolescência e com superação/entendimento quando adulto (oxalá). Tomara Nayla que você esteja certa e que no balanço geral ele possa um dia dizer que teve uma boa mãe.
A você minha mãe, a você Nayla e a todas as mães um feliz dia das Mães!

3 comments:

Nayla said...

Cintia. Acho que vc se esqueceu ou realmente vc não tem consciência do seu potencial!!?! EU seu que vc vai ser ótima mãe,e não me pergunte porque, é intuição de mãe...hehehe! Assim como vc foi, é e sempre será ótima profissional,ótima amiga(pra mim)etc,etc... .Acho que vc deveria ter nascido cachorro! pois vc ama que nem eles: incondicionalmente!!EU sei disso.Vc é "quase" tudo de bom. Tudo seria exagero e definitivo, coisas que realmente não combinam com vc.Enfim, sou sua fã, amiga, confidente e tenho orgulho de ter conquistado sua amizade.Amo vc,por conseguinte, agora amo o Max só o Mauro que deixa eu conhecer primeiro, pra fazer declaracões explicitas!! A sua hora agora é ser mãe mais do que tudo. Aproveite ao máximo! Mesmo longe, estarei sempre perto do seu coração... vc esta dentro do meu . beijão

cintia said...

Obrigada Nayla, fiquei toda orgulhosa do que você escreveu... beijos lindona!

Priscila said...

Manis,
sua irma caçula pensa assim de vc...
Tenho muito orgulho de vc. Te acho batalhadora, corajosa, competente em tudo que se propoem a fazer e isso faz parte de você e nada vai te tirar isso.
Aliás eu aprendi com você que vale mais ter a total convicção de que podemos ser uma "fudidona" se assim quisermos do que propriamente ser sempre uma...
Beijo.